Março de 1999: Ativo Juvenil da CCLCP que decide reorganizar a JA

Março de 1999: Ativo Juvenil da CCLCP que decide reorganizar a JA

O Ativo é um espaço da CCLCP dedicado ao debate da atuação da organização em diferentes aspectos de sua vida política. Nos dias 27 e 28 de março de 1999, realizou-se um Ativo Juvenil com o objetivo de discutir a conjuntura internacional e nacional, a Universidade e o Movimento Estudantil. Participaram do Ativo camaradas de diferentes estados. 
As discussões feitas no Ativo levaram a CCLCP a considerar a necessidade de organizar uma Juventude que começa em alguns estados e universidades, mas que deverá ampliar-se para todos os estados e para outros setores da juventude brasileira, como a juventude camponesa, operária, desempregada, etc. Resolveu-se, de início, chamar essa juventude de Juventude Avançando, em referência ao passado da década de 80. 

Sobre reorganização da Juventude Avançando

Foi avaliado no decorrer das discussões desse Ativo que as condições estavam “maduras” para a reorganização da Juventude Avançando, com o objetivo organizar a juventude brasileira para lutar por seus direitos e pela construção de uma perspectiva socialista para a sociedade brasileira.
A Juventude Avançando foi então criada com autonomia organizativa, ou seja, organizada pelos próprios jovens, estando vinculada política, ideológica e programaticamente à Corrente Comunista Luiz Carlos Prestes. Teria, então, identidade ideológica comunista no esforço de lutar pela construção de uma ofensiva socialista.
Partindo da organização da juventude universitária, a JA passou a trabalhar na perspectiva de incorporação dos jovens camponeses, operários e demais setores da Juventude. O entendimento é de que a relação da JA com os jovens trabalhadores era um fertilizante da Juventude, tanto para a proletarização da consciência da juventude estudantil como para a elevação do nível de consciência dos jovens trabalhadores.
A atividade central para este ano (1999) foi a participação no Congresso da UNE, levando a discussão feita neste Ativo e outras sobre Universidade e a situação do movimento estudantil. O centro da luta política seriam os problemas fundamentais do povo e a necessidade de voltar a Universidade para o estudo e a solução destes problemas.
Foi tirada neste ano uma Coordenação Provisória Nacional da Juventude Avançando que teria como tarefa a preparação da tese para o Congresso da UNE e a organização do 1° Encontro Nacional da Juventude Avançando. A JA passou a ser organizada por núcleos de base de acordo com o espaço de atuação e foi iniciado uma política de finanças própria, além de ser definido os primeiros critérios para o recrutamento de novos membros. 
Após esta decisão de formar a JA, foi nítido o aprimoramento das definições políticas e da intervenção no movimento estudantil. Além da construção de núcleos locais, a decisão de criar a JA também propiciou uma participação mais efetiva nos fóruns estaduais e nacionais do movimento. Também começou-se a dar mais atenção para a articulação internacional, especialmente na América Latina, com a participação de alguns militantes no XII Congresso da OCLAE (Organização Caribenha e Latino-Americana de Estudantes) em abril de 2000.