IV Reunião do Grupo de Trabalho Nacional de Universidade Popular



João Pessoa (Paraíba), 18, 19 e
20 de Novembro de 2013



Entre os dias 18 e 20 de outubro de 2013, ocorrerá
na cidade de João Pessoa, Paraíba, a IV Reunião do GTNUP. Este Grupo é
resultado da articulação do I Seminário Nacional de Universidade Popular
(SENUP) que ocorreu em Porto Alegre, em 2011. Desde então, viemos fazendo
reuniões para apontar lutas pela transformação da universidade atual.
Com base na discussão estratégica da Universidade
Popular, vem-se elaborando bandeiras de luta específicas e gerais que tem por
objetivo construir um amplo movimento nacional de luta pela universidade
popular. Nesse sentido, o GTNUP tem um sentido mediador, pois é a ponte entre
as lutas dispersas e o movimento nacional que ainda está para ser consolidado.
O grande desafio está na constituição de ações práticas que acumulem forças
para a ofensiva do movimento universitário. O GTNUP não é uma nova entidade ou
organização política. A criação do GTNUP tem a função de manter coeso o grupo
de organizadores e participantes do SENUP, para colocar em prática as
diretrizes debatidas e aprovadas coletivamente.
Na terceira reunião, que ocorreu em Goiânia em
Novembro de 2012, iniciamos um processo de formulação de campanhas e lutas
importantes. Na ocasião, formulamos o eixo de luta pela “Produção de
Conhecimento para o povo”
 e contra o PL 2177 – Código
Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que resultou na primeira cartilha
do GTNUP: (disponível em: http://gtnup.files.wordpress.com/2013/07/cartilha.pdf).
Também nessa reunião, deliberamos sobre a importância do envolvimento de cada
grupo local de luta pela universidade popular na campanha contra a
EBSERH
 (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares).
Agora, na quarta reunião, pretende-se estender os
debates e as lutas para outros campos: democracia universitária e extensão
popular
. Nesse caminho, de análise e apontamentos concretos para a luta,
vamos edificando o movimento por uma universidade popular, que deve ser
construído em cada espaço de atuação, seja universitário ou popular.
O método de trabalho do GTNUP tem sido o de debates
plurais e horizontais, onde nos orientamos exclusivamente pela via do consenso
entre as organizações componentes, entidades e militantes. A unidade do GTNUP é
produto de um longo processo de maturação política, na qual uma estratégia
comum de disputa da universidade
 tem sido partilhada pelo mesmo campo
político de militantes, organizações e entidades.
Neste espaço buscamos compreender a universidade
popular como a estratégia necessária para a reorganização do movimento
universitário a nível nacional e a partir da base, ou seja, de “baixo para cima”,
direcionando as nossas tarefas imediatas no movimento para o horizonte mais
amplo de universidade que consiga romper com o domínio do capital e produza
conhecimento com e para o povo brasileiro. Essa compreensão abre possibilidades
de acúmulo organizativo e ideológico para o movimento, já que cria a
necessidade de travar permanentemente essas lutas em novas formas, com mais
fôlego e organização formando um bloco ofensivo.
Essa estratégia leva em consideração o entendimento
de que hoje lutar pela universidade pública, gratuita e de qualidade se tornou
limitado para traçar um horizonte de superação da situação atual. É claro que
defender e aprofundar o seu caráter público é fundamental. No entanto, a
situação colocada exige que identifiquemos os sujeitosda
transformação da universidade – que só se transformará ligada a uma ampla luta
social – ou seja, os trabalhadores e os setores populares explorados e
oprimidos pelo bloco de poder dominante.
Nesta atividade reuniremos estudantes, docentes,
servidores técnico-administrativos e movimentos sociais. A programação inicial
é a seguinte:
Dia 18, sexta-feira:
18h – Análise de conjuntura e avaliação da nossa
articulação.
Dia 19, Sábado:
9h – Democracia e extensão popular.
14h – Organização interna do GTNUP – carta de
princípios.
Dia 20, Domingo:
9h – organização do 2º Seminário Nacional de
Universidade Popular
Todos militantes, organizações, movimentos,
entidades, estudantes, professores e técnicos, dispostos a luta e construir o
projeto da universidade popular estão mais do que convidados.
Criar, criar, Universidade Popular!
Grupo de Trabalho Nacional de
Universidade Popular