Contra os cortes na educação – por uma universidade popular!

 

Hoje, a CAPES (coordenação ligada ao MEC responsável pela pós-graduação das universidades públicas federais) informou que os cortes promovidos pela junta-golpista do governo de Michel Temer suspenderão 443 mil bolsas de pesquisa a partir de Agosto de 2019, se o orçamento atualmente proposto para o ano que vem for mantido. O congelamento dos gastos públicos já se apresenta. Este grave desmonte da educação e da ciência no país será apenas uma das facetas da famigerada “PEC do fim do Mundo”, visto que tal medida anula os preceitos públicos da Constituição de 1988 de educação, saúde e segurança pública. A falência dos referidos sistemas ocorrerá em pouco tempo com a atual política – não serão necessários que se espere os 20 anos.


Precisamos de uma forte mobilização pela revogação da Emenda Constitucional 95. O ensino é parte integral de uma nação soberana, e a pesquisa científica é ainda mais chave para a fuga das armadilhas da dependência econômica imposta pelo imperialismo. Precisamos, mais do que nunca, a proposição, por parte do Movimento Estudantil, de uma estratégia e de um novo modelo de universidade, de Educação Popular, pública, diversa, criativa e soberana, que tenha toda sua produção de conhecimento voltada para as demandas do povo, sem os desmandos do capital.

Apenas a organização dos estudantes poderá garantir nosso futuro imediato!

CONTRA OS CORTES!

POR UMA UNIVERSIDADE POPULAR!